Passageiros relatam que são assaltados até mesmo no ponto de ônibus. Polícia Militar atribuiu à soltura de suspeitos, por parte da justiça, como um dos principais complicadores para resolver o problema.

Itaquaquecetuba é a cidade do Alto Tietê com o maior volume de roubos em geral, com 2.327 ocorrências registradas de janeiro a outubro. Em seguida vem Suzano com 1.539 e Mogi das Cruzes com 870 ocorrências do tipo. Na cidade, até mesmo os passageiros são assaltados enquanto esperam o ônibus.

Propaganda

Esse tipo de crime é o mais frequente nas estatísticas criminais divulgadas mensalmente pela Secretaria de Estado de Segurança Pública. A Polícia Militar disse que soltura de suspeitos presos é um dos motivos para a situação na cidade.

Um jovem que não quer se identificar teve a carteira e um celular roubados quando estava em um ponto de ônibus em Itaquaquecetuba. A ação da quadrilha foi violenta.

“Apontaram uma arma para a gente, pedindo para ir rápido. Entraram no carro e foram embora antes do ônibus chegar. Deve ter durado um minuto a ação deles”, conta a vítima.

Nenhum objeto roubado foi encontrado até agora. A grande reclamação é a falta de policiamento. “Geralmente eles assaltam as pessoas no finalzinho da noite ou logo no começo do dia, e a gente nunca vê polícia passando no ponto de ônibus por esse horário”, pontuou.

Uma das ruas com mais registros de roubos em Itaquaquecetuba é a Manduri, no Parque Recanto Mônica. Durante a gravação da reportagem pela TV Diário, nenhuma patrulha da Polícia Militar passou pelo local.

As pessoas que moram no bairro e precisam passar pela rua não quiseram dar depoimento por medo.

Uma das principais vias da cidade é também uma das mais perigosas para os pedestres. A Estrada de Santa Isabel liga diversos bairros ao Centro. e até mesmo no centro, onde tem muito movimento, os pedestres andam com bastante medo.


“Eu trabalho no farol e eu vejo muito o pessoal falar de assalto. O pessoa se previne, mas em todo quanto isso acontece”, avalia o vendedor Willians Alves da Silva.

Os pontos de ônibus são alguns dos principais alvos dos criminosos. O cobrador de ônibus Aldeci já ouviu muitas histórias de pessoas que foram assaltadas.

Os pedestres são as vítimas mais frequentes da violência em todo o estado de São Paulo. De janeiro a outubro, 48,9% de todos os crimes foram de roubo a pessoas que andavam a pé pelas ruas. Os dados são maiores do que os de roubo de veículo, segundo mais comum, na casa de 18% do total de ocorrências.

Enquanto isso, os pedestres se protegem como podem. “A bolsa está escondida na sacola, para eles não verem. Eu escondo o celular na cintura, sacola, enrolo”, comenta a estoquista Jucélia Aparecida.

comandante da Polícia Militar em Itaquaquecetuba, Anderson Caldeira – Foto Arquivo TV Diário de Mogi

Para o comandante da Polícia Militar em Itaquaquecetuba, Anderson Caldeira, o problema está na justiça. “A Polícia Militar aqui está fazendo um trabalho fortíssimo de repressão, prisões e prevenção. O que a gente tem detectado é que há uma falha do sistema como um todo e, muitos jovens e pessoas presas hoje, claramente já estão roubando e sendo presas daqui dois ou três dias. Isso causa, por vezes, uma desmotivação aos policiais que estão trabalhando firme e forte, às vezes até no limite das suas forças”, conta o comandante.

Caldeira destacou ainda que, em Itaquaquecetuba, a polícia já está em todos os quadrantes da cidade. “A polícia faz inúmeras prisões. O ideal é que a população registre os fatos, para que a gente possa fazer o mapeamento mais consistente no que se refere aos picos de crimes ocorridos”, enfatizou.

Fonte Portal G1

Facebook Comments

50% LikesVS
50% Dislikes