Governador João Doria em coletiva realizada nesta quarta-feira (21) após inauguração do hospital de campanha de Itaquaquecetuba — Foto: Natan Lira/G1

Governador esteve na cidade nesta quarta-feira (21) para a inauguração de um hospital de campanha. Ele estava acompanhado pelos secretários estaduais de Desenvolvimento Regional e de Saúde, que também comentaram questões sobre a Butanvac e a vacinação obrigatória.

Nesta quarta-feira (21), durante uma visita a Itaquaquecetuba para a inauguração do hospital de campanha da cidade, o governador João Doria falou sobre as aglomerações registradas durante a manhã nas estações de trem do Estado.

Propaganda

Durante o evento, os representantes do governo também falaram do processo de testagem da vacina do Instituto Butantan contra a Covid-19, a Butanvac, da obrigatoriedade da vacina e da ampliação de leitos no Alto Tietê.

Por causa do feriado de Tiradentes, os veículos da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), circulavam com intervalo de 35 minutos, o que fez com que algumas estações ficassem lotadas. Doria afirmou que ficou surpreso, mas que os passageiros, pelo menos, estavam usando máscara.

“Não se esperava esse movimento, evidentemente, numa quarta-feira de feriado, sem funcionamento de comércios, sem funcionamento de serviços, sem funcionamento de indústrias. Nos surpreendeu. Evidentemente, foi um volume bem superior ao que se esperaria de um feriado nacional. Em obediência, as pessoas poderiam estar em suas casas. Muitas saíram, foi fora da expectativa”, comentou.


“A boa notícia é que todos estavam usando máscaras. Nós tornamos obrigatório, isso já tem mais de cinco meses, que o uso do transporte coletivo, sobretudo trens, trilhos, metrô, só se faça o ingresso na estação de embarque mediante o uso de máscara. Estavam todos com máscara”.

O secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, também estava no evento e destacou que a lotação do transporte público em meio à pandemia é um problema mundial. Ele lembrou que em maio será iniciada a vacinação dos trabalhadores desse setor contra a Covid-19.

“É fundamental dizer, o governador falou agora pouco sobre a vacinação dos trabalhadores, motoristas e cobradores de transporte coletivo em ônibus, e também os metroviários e ferroviários. Tudo o que pode ser feito em torno disso, escalonamentos de horários, conscientização de todos para poder superar esse momento, está sendo feita. Mas eu registro aqui mais uma vez: é um desafio mundial e todos nós temos que enfrentar isso”.

Facebook Comments