Desempregada usou uma faca e um martelo para matar a vítima, após, segundo ela, ter sofrido um abuso sexual. Ela afirmou que queria se separar, mas o companheiro ameaçava matar a mãe dela e uma irmã, além de praticar violência psicológica e sexual e ainda de atear fogo nela.

Uma mulher, de 40 anos, foi presa em flagrante por suspeita de matar o companheiro, de 42 anos, com golpes de faca e martelo, em Itaquaquecetuba, na madrugada desta quarta-feira (20).

Propaganda

Na delegacia, a mulher contou que tinha um relacionamento de união estável há 23 anos com o companheiro e queria se separar dele, mas o homem não aceitava. Segundo ela, o companheiro ameaçava matar a mãe dela e uma irmã, além de praticar violência psicológica e sexual e ainda de atear fogo nela.

Ainda de acordo com o relato da suspeita, na noite do crime ela estava decidida a se separar, mas eles discutiram de novo e ele ameaçou matar a família dela. Em seguida, a obrigou a ter relações sexuais sem o seu consentimento e preservativo.

Após a relação, a mulher escondeu uma faca e um martelo debaixo de um colchão na sala da casa, segundo o boletim de ocorrência. Quando o homem deitou e se distraiu com o celular, ela o golpeou com o martelo na cabeça e depois deu diversas facadas.

Testemunha

A filha do casal, de 18 anos, contou à polícia que estava dormindo quando ouviu alguém murmurando. Ao sair do quarto, viu parte do corpo do pai na sala, ensanguentado, e acionou o Samu. Em seguida, a mãe entrou em seu quarto e começou a pedir perdão, mas, àquela altura, não sabia o que a mãe havia feito.


Quanto ao relacionamento dos pais, ela disse ser “abusivo”, porque diversas vezes presenciou o pai praticando terror psicológico contra mãe, que era mantida em casa.

Ela relatou que a mãe lhe confidenciou que era abusada sexualmente, mas que nunca presenciou uma agressão contra sua mãe e que seu pai sempre a questionava quanto às características físicas e a desprezava. A filha disse ainda que presenciou o pai ameaçando a mãe de morte com fogo.

A mulher foi presa em flagrante e o caso registrado como homicídio no DP Central de Itaquaquecetuba.

Fonte G1

Facebook Comments